O papel da tecnologia passou a ser ainda mais discutido em meio ao atual cenário. Com o distanciamento social, para conter o avanço da Covid-19, as pessoas passaram a depender do uso de procedimentos virtuais para trabalhar, estudar e se comunicar com os demais. De acordo com pesquisa realizada pela Hibou, empresa de monitoramento de mercado, 41,6% da população já usa, por exemplo, aplicativos para chamadas de videoconferência e outras ferramentas de geração de conteúdo on-line.

Diogo Cuoco, CEO da Taki Pagamentos, afirma: “o surgimento do coronavírus mundo afora já está mudando os nossos negócios e a sociedade de maneira significativa. Áreas como compras digitais, educação a distância e investimentos em saúde pública serão impulsionadas. As empresas também podem configurar suas cadeias de suprimentos e afastar a dependência de algumas mega fábricas localizadas no mesmo lugar ou região.”

O especialista ressalta, as crises não são inéditas na história humana, porém cada uma provoca uma alteração diferente: “tempos de recessão ou volatilidade são um pêndulo entre o surgimento e o crescimento de novos negócios e a falência de um número expressivo até mesmo de setores inteiros. A pandemia acelerou, e muito, a explosão informacional e o movimento da hiperconectividade e hiperdigitalização.”

Na opinião do especialista a sigla Vuca (Volátil, Incerto, Complexo e Ambíguo) é capaz de definir o atual cenário, não só do mercado de trabalho, mas de toda a formulação da sociedade. “Para nos mantermos atualizados e por consequência os nossos negócios vivos, a mudança deve começar por nós mesmos, entendendo o conceito de lifelong learning, ou seja, a aprendizagem constante e contínua ao longo da vida. Devemos estar em ininterrupto desenvolvimento, assim como as empresas”, destaca Cuoco.

Consumidor 5.0

A forma de consumir não é mais a mesma, em um clique os clientes podem adquirir um produto, serviço ou criarem percepções das marcas. Se antes a comunicação era rígida e padronizada, com os avanços tecnológicos se faz necessário repensar e flexibilizar a interação com o público.

“Vivemos uma nova economia e as corporações precisam se adaptar a esta realidade para sobreviver. O planejamento estratégico passa a ter dinâmica completamente diferente, pois estamos chegando ao fim de uma era. Muitas empresas ainda não realizaram as transformações e as novas práticas necessárias para a ampla adoção da Inteligência Artificial, por exemplo”, aconselha o CEO.

Para se adaptar ao novo cenário, Cuoco orienta: “as companhias precisam romper barreiras culturais, organizacionais e encontrar um novo modelo de liderança e inovação. Se você é empreendedor e quer fazer a diferença daqui para frente, pense fora da caixa.”

Além disso, o especialista ressalta, apesar das constantes modificações, algumas práticas tradicionais ainda são essenciais, como a busca por conhecimento: “se especialize em determinados nichos capazes de permitir conhecer os hábitos dos seus consumidores. Estude e esteja preparado para modificar a sua empresa com o passar do tempo.”

Um case bem-sucedido da adoção de novas posturas diante dos avanços tecnológicos, ocorreu com o projeto “ClassApp Portas Abertas.” Consiste em um aplicativo criado em 2014 com o objetivo de conectar escolas com pais e alunos de forma inteligente e eficiente. Com a suspensão das aulas em todo o Brasil, a empresa enxergou o potencial de agregar novos públicos. Por isso, promoveu acesso à plataforma de maneira interativa e gratuita por dois meses. “Nesse momento delicado, ter uma comunicação eficiente deixou de ser uma opção e se tornou algo obrigatório para a sobrevivência das instituições de ensino”, explica Vahid Sherafat, CEO do ClassApp.

Os gestores perceberam a necessidade de repensar uma atividade rotineira, conferir a agenda dos alunos e criaram uma tecnologia capaz de modernizar esse processo. Diante da crise, a corporação se destaca e comprova como novas ideias podem ter seu espaço no mercado de trabalho. “Nós disponibilizamos a versão gratuita do app há alguns dias e já estamos com cem novas instituições em processo de instalação do sistema. As escolas e as faculdades entendem a importância dessa estratégia de continuidade do processo de aprendizagem dos alunos de forma remota”, destaca Sherafat.

Quer tornar sua empresa um exemplo de sucesso diante das novas revoluções tecnológicas? Acompanhe as matérias e conteúdos do Nube e fique sempre por dentro das últimas novidades.

Estamos no Linkedin com mais dicas e matérias focadas para gestores.

Se você tiver dúvidas sobre a contratação de estagiários e aprendizes, solicite um contato da nossa equipe.

Interessado em aprender mais? O Nube também oferece cursos on-line voltados para a qualificação profissional de gestores, estagiários e aprendizes.

Compartilhe