A cultura organizacional é fundamental para um alinhamento entre a essência da empresa e seus funcionários. Assim, em especial, em tempos de crise como essa do Coronavírus, é preciso rever ou reforçar as crenças e também ampliar os modelos de relacionamento e confiança. Está tendo problema com isso em sua companhia? Então, vale ficar atento às nossas dicas!

Quais os principais desafios?

Ganha destaque nessa ocasião, o mundo Vuca - expressão cada vez mais presente no meio corporativo para descrever características como volatilidade, incerteza, complexidade e ambiguidade (do termo em inglês volatility, uncertainty, complexity e ambiguity). Logo, é um situação a ser tratada com cuidado redobrado, pois o comportamento interno influencia, também, o alcance da repercussão da marca.

Dessa forma, listamos os pontos relevantes a serem trabalhados para enfrentarmos juntos essa fase de um jeito leve, saudável e produtivo:

Visão institucional: essa é a hora de construir uma perspectiva de posicionamento do negócio diante da turbulência. Assim, é preciso alinhar a comunicação com a corporação inteira. Nesse sentido, segundo a consultora organizacional, Léia Wessling, “a liderança deve trazer luz sobre o momento e quais as ações necessárias para enfrentamento”.

Prevenção e engajamento: para o diretor de capacitação da Great Place to Work Brasil, Cauê Oliveira, o segredo sempre estará nas pessoas. Elas são a base para fazer fluir processos e sistemas capazes de elevar a consciência e as consequências a longo prazo. “Nas Melhores Empresas para Trabalhar, o pensamento é de valorizar genuinamente as pessoas e essas, por sua vez, oferecerão o seu melhor. Dessa forma, podemos ter o maior envolvimento possível e os resultados vêm a reboque”, explica.

Novos métodos e modelos de trabalho: é importante ter clareza nas diretrizes. Oliveira exemplifica, são dois direcionamentos muito claros capitaneados pelo CEO da empresa. São eles:

  1. Todo apoio às ações de prevenção e contenção do vírus: isso significa eliminar encontros presenciais, tornar o home office mandatório. Em suma, garantir a saúde e segurança de nossos colaboradores e familiares.
  2. Incentivo aos negócios: reforçar a comunicação e o engajamento de nossas equipes, gerando alternativas criativas e novas formas de seguir com nossas transações.

Portanto, para expandir os princípios associativos é necessário voltar o olhar aos pilares do empreendimento com humanização. Ou seja, promover o diálogo com o público interno. Com isso, a instituição entenderá como dar suporte aos contratados nesse período de atuação à distância. É assim o funcionamento de organizações dirigidas por valores, “aquelas mais preparadas para responderem por suas ações, por causarem impacto positivo na sociedade e por terem efeitos sustentáveis”, complementa Léia.

Para enfrentar esse cenário mundial é preciso ter resiliência. Seja empático e coloque as dicas em prática. O Nube está com você!

Estamos no Linkedin com mais dicas e matérias focadas para gestores.

Se você tiver dúvidas sobre a contratação de estagiários e aprendizes, solicite um contato da nossa equipe.

Interessado em aprender mais? O Nube também oferece cursos on-line voltados para a qualificação profissional de gestores, estagiários e aprendizes.

Compartilhe