Transformação constante de carreiras e empresas, maior concorrência e horários flexíveis são algumas das mudanças capazes de movimentar radicalmente o mercado e as relações trabalhistas nos próximos anos. O desafio dos gestores, portanto, é se preparar para os novos tempos e instruir seus times para lidar com situações cada vez mais instáveis, seja no ambiente interno da corporação ou externamente.
                                                                                                                              
Preparando os superiores
                                                                                                                              
"Precisamos capacitar líderes para conduzir mudanças em projetos, processos e produtos de forma estruturada e planejada. Eles precisam construir equipes com a capacidade de prezar pela integração e facilitação na hora de resolver problemas organizacionais. Assim, é possível contribuir para atingir os objetivos estratégicos da companhia", explica Barbara Caríssimi, coordenadora da pós-graduação em gestão de crises e mudanças da Universidade Veiga de Almeida (UVA).

Enfrentamento de adversidades                                                                                                                               

Os coordenadores precisam analisar crises e mudanças não apenas pela ótica sistêmica, aplicando as melhores ferramentas e metodologias de gerenciamento, mas também sob o ponto de vista do grupo e, principalmente, do indivíduo. "A mudança tem de ser compreendida e aceita, primeiramente, por todo membro da staff. Para isso, quem está em cargo de gestão, independentemente do setor de atuação do empreendimento, precisa desenvolver as chamadas soft skills e repassar aos grupos conceitos de inteligência emocional e modelos mentais", ressalta Barbara, também mestre em psicanálise, saúde e sociedade pela UVA.

Cenários irão mudar                                                                                                                               

Segundo levantamento da PageGroup, a evolução das profissões é extremamente alta. Por isso, estima-se um dado interessante: aproximadamente 70% das crianças de hoje trabalharão em funções ainda inexistentes. Além disso, trocas de emprego serão cada vez mais naturais, afinal, a tendência é os colaboradores buscarem trabalhos de curta duração e projetos com início e fim, não carreiras estáticas.

Qual a solução?                                                                                                                               

Assim, as instituições deverão buscar novas formas de atrair e reter os melhores profissionais. "Quem não se preparar para as novas dinâmicas poderá sucumbir. Por isso, muitas organizações já possuem áreas específicas para enfrentar as transformações ou contratam consultorias especializadas no serviço", finaliza.

Contato com os mais novos
                                                                                                                                     
Um dos aspectos fundamentais para se preparar às situações é se aproximar dos talentos, principalmente dos jovens. Isso, para a estagiária de comunicação, Leandra Silva, faz toda a diferença. “Gosto de me sentir ouvida e acolhida. Com meu supervisor, construí uma relação de confiança”, compartilha.

Assim, se atente as dicas para lidar com os novos cenários. Conte sempre com o Nube! Saiba mais sobre o assunto aqui.

Estamos no Linkedin com mais dicas e matérias focadas para gestores.

Se você tiver dúvidas sobre a contratação de estagiários e aprendizes, solicite um contato da nossa equipe.

Interessado em aprender mais? O Nube também oferece cursos on-line voltados para a qualificação profissional de gestores, estagiários e aprendizes.

Compartilhe