Cada dia com maior frequência, as relações e os negócios são construídos por meio de ferramentas virtuais. Mesmo se o contato físico, o famoso olho no olho, nunca deva perder sua importância, muitas organizações têm entendido: a depender da atividade, condicionar o colaborador a ir até o escritório diariamente é enquadrá-lo em uma rotina a qual não contribui em nada com a criatividade, a inovação e o engajamento.

Irritação diária é comum

Pensando em grandes centros urbanos, onde além de tudo, o próprio deslocamento é estressante, a jornada ainda pode ser menos produtiva, do ponto de vista de capacidade de criação, desenvolvimento de ideias e inovação, assim como foco e comprometimento com resultados. Quem defende isso é Fábio Bier, gerente de RH da Husqvarna para América Latina.

Ganhos

“Nesse cenário, adotar políticas de flexibilização da rotina e trabalho a distância - home office - fomenta o engajamento, aumenta o sentimento de pertencimento e orgulho do profissional, além de promover a inovação”, defende. Conforme as pessoas vão se habituando ao mundo digital e conhecem tantas tecnologias, é natural elas passarem a não entender a necessidade de ir todos os dias ao prédio da contratante. “Afinal, trânsito, correria, aquele colega falando alto e tirando o foco, chuva e alagamentos são motivos além de suficientes para o talento preferir ficar em casa, mesmo se for apenas uma vez por semana”, conclui.

Queda na rotatividade

Segundo Bier, quando isso acontece, a flexibilização da jornada e home office passam a ser fatores de atração e retenção de talentos, e, portanto, uma estratégia importante para a companhia. “Antes, porém, é importante a entidade se preparar para essa nova realidade e tudo começa com a capacidade da liderança de fazer gestão por resultado - definir claramente papéis e responsabilidades, estabelecer objetivos e proporcionar aos indivíduos informações claras a respeito da estratégia”, orienta.

No estágio

Leandra Lima estuda administração e estagia na área. Como suas atividades dependem mais do computador e menos de relações com outros colegas, dois dias da semana ela permanece em seu lar e executa suas delegações de lá. “Isso me ajuda muito, porque me sinto menos cansada ao final do expediente!”, compartilha.

Para garantir a produtividade longe do escritório, antes de adotar flexibilizações da jornada, é importante responder a perguntas básicas:

1. A coordenação está preparada para delegar, comunicar escopos e acompanhar resultados de maneira consistente?

2. A cultura do empreendimento favorece agendamentos de reunião com antecedência, planejamento semanal ou mesmo mensal?

3. A liderança e os times contam com recursos tecnológicos de comunicação remota (celular, aplicativo de mensagem instantânea, VPN, laptops etc.)?

“Até a nova cultura ser estabelecida, é plausível contar com recursos para fiscalizar a produtividade e isso pode ser até mesmo a simples exigência de relatórios formalizando a atividade com descrição hora a hora”, diz.

Siga essas dicas e aplique o conceito! Conte sempre com o Nube.

Estamos no Linkedin com mais dicas e matérias focadas para gestores.

Se você tiver dúvidas sobre a contratação de estagiários e aprendizes, solicite um contato da nossa equipe.

Interessado em aprender mais? O Nube também oferece cursos on-line voltados para a qualificação profissional de gestores, estagiários e aprendizes.

Compartilhe