Muitas pessoas nutrem o sonho de ter sucesso em todas as esferas da vida. Trilhar um caminho promissor na carreira é desafiador e a melhor maneira de conquistar esse objetivo é por meio do estágio. No dia 18 de agosto, todos os estagiários são homenageados, mas o intuito da celebração é estimular esse tipo de contratação no país. Afinal, a modalidade tem grande impacto social e econômico.
 
De acordo com o levantamento do Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea), 23% dos jovens brasileiros não trabalham e nem estudam. Conhecidos como a Geração Nem Nem, representam um dos maiores percentuais de pessoas entre 15 e 29 anos nessa situação entre nove países da América Latina e Caribe. Em vista disso, a atividade é a alternativa ideal para driblar esse cenário e formar profissionais cada vez mais capacitados.
 
“Além de auxiliar o contato com o mercado de trabalho e diminuir os índices de desemprego taxados no Brasil, a juventude ganha o estímulo de se dedicar aos estudos”, ressalta o presidente do Nube, Carlos Henrique Mencanci. Para participar do programa, segundo a Lei 11.788, os alunos precisam estar matriculados e frequentando o ensino médio, técnico ou superior e, assim, podem colocar em prática o aprendizado da sala de aula. Ademais, ainda é possível adquirir a tão requisitada experiência e competências corporativas.
 
O ato educativo escolar supervisionado também funciona como patrocinador da carreira, pois o direito a uma bolsa-auxílio dá a oportunidade de custear a própria mensalidade da faculdade e outros cursos para qualificação. Além da ajuda financeira, a legislação garante também recesso remunerado, auxílio-transporte, seguro contra acidentes pessoais, contrato limite de dois anos na mesma organização e carga horária máxima de 6h diárias e 30h semanais.
 
Apesar disso, segundo os últimos dados do Inep/MEC, temos 17,6 milhões de educandos, mas apenas 1 milhão está estagiando, de acordo com a Abres - Associação Brasileira de Estágios. “Os números reforçam o papel social das empresas de abrirem suas portas para esses jovens desenvolverem seus talentos e se tornarem grandes líderes no futuro”, considera Mencaci.
 
Para os empreendimentos, a lei também dispõe de alguns benefícios sobre esse tipo de contratação: há a isenção de encargos trabalhistas como INSS, FGTS e multas rescisórias. Assim, incluir estudantes em seu quadro pessoal, garante renovação na cultura da empresa e produtividade nos resultados, pois eles chegam cheios de energia e vontade de aprender. “Quanto mais esse grupo for valorizado, mais a sociedade sairá ganhando. Investir nesse modelo é acreditar na transformação por meio da educação!”, finaliza o presidente.
 
Fonte: Carlos Henrique Mencanci, presidente do Nube - Núcleo Brasileiro de Estágios
Serviço: Dia do estagiário celebra inserção de jovens no mercado

Compartilhe