Não só na sala de aula, nos livros e nas pesquisas se formam os bons profissionais. Outras experiências completamente fora da rotina, como poker nos negócios, stand-up paddle e cozinha (sabor da experimentação), podem fazer os estudantes desenvolverem suas capacidades. Saiba mais!

Esse é o propósito do Programa Perspectivação, desenvolvido pelo Isae Escola de Negócios em Curitiba e oferecidos aos colaboradores, professores, alunos de graduação, pós-graduação, mestrado e cursos de média duração. Além disso, as vivências são abertas ao público externo, o qual pode se inscrever pagando uma taxa de especial.

A oportunidade facilita a assimilação de conceitos e conteúdos teóricos. Em 2018, a iniciativa contou com 1.994 participações.“Trata-se de um sistema de aprendizagem híbrido. As atividades promovem o desenvolvimento pessoal e profissional por meio da interrelação das competências assimiladas durante o programa”, explica o presidente do Isae, Dr. Norman de Paula Arruda Filho.

O educando de MBA em Gestão Comercial, Jhonny Calixto, já teve contato com esse tipo de experimentação e disse ser surpreendente. “Ano passado eu participei de um rafting voltado a essa perspectiva. Foi incrível, pois saímos do estresse diário em um lugar descontraído”, conta. Além disso, ele ressalta a chance de network com excelentes pessoas, bem como os demais aprendizados. “Aprendi sobre trabalho em equipe, liderança e persuasão no comando do bote. Vivemos situações de pressão e tomadas de decisão”, comenta.

Um relatório elaborado pelo Fórum Econômico Mundial, chamado de O Futuro do Trabalho (em tradução literal), relaciona algumas habilidades valorizadas em prol da empregabilidade. Entre elas, destacam-se as chamadas atividades sociais, como Inteligência Emocional, a coordenação com outros indivíduos, capacidade de negociar e convencer, entre outras. Além disso, alguns aspectos considerados básicos pela publicação tendem a ser destacados e dar espaço no mercado: o senso crítico, a criatividade, a capacidade de solucionar problemas complexos e o julgamento para tomar decisões.

O psicólogo Sérgio David também entendeu essa nova necessidade do mundo corporativo e desenvolveu o projeto "Corporativo Encena". Consiste numa proposta de desenvolvimento humano por meio da junção de estratégias educacionais reconhecidas e eficazes com intervenções artísticas (teatro, música, dança, entre outras). “A introdução de propostas e jogos colabora para a facilitação da absorção dos conteúdos, porque de acordo com a neurociência, o cérebro humano aprende de duas formas: pela repetição e pela emoção”, ressalta.

Portanto, leve para sua equipe inovações como essa e veja a produtividade aumentar.

Estamos no Linkedin com mais dicas e matérias focadas para gestores.

Se você tiver dúvidas sobre a contratação de estagiários e aprendizes, solicite um contato da nossa equipe.

Interessado em aprender mais? O Nube também oferece cursos on-line voltados para a qualificação profissional de gestores, estagiários e aprendizes.

Compartilhe