A tecnologia chegou para ficar. Os novos recursos modificaram a rotina da maioria das pessoas e transformaram os hábitos. Segundo o relatório “2018 Global Digital”, realizado pela We Are Social e Hootsuite, os brasileiros passam mais de 3h30 de seu dia nas redes sociais e até 9h diárias na Internet. A quantidade de informação recebida é imensa e a troca de experiências é contínua. Pensando nisso, o Nube - Núcleo Brasileiro de Estágios realizou o seguinte estudo: “você responde a todas as mensagens recebidas?”. O resultado apontou a necessidade dos jovens de se manterem conectados!

O levantamento ocorreu entre 18 de fevereiro e 1º de março de 2019, em todo o Brasil. A faixa etária analisada foi a de 15 a 28 anos. Ao todo, 86,91% não pestanejou e disse: “sim, retorno a todo mundo”. Contudo, o período utilizado para essa ação dividiu os respondentes. Assim, 48,92%, ou 26.470 participantes, revelaram: “não sossego até finalizar a última”. Porém, 37,99% (20.556) afirmaram: “faço sem pressa, no meu tempo”. Para a analista de treinamento do Nube, Nicole Crespo, isso pode ser reflexo de uma ansiedade para interagir logo, avidez por notícias e contato, ou até por má administração das horas.

“Esse tipo de atitude impacta de forma negativa a produtividade, afinal, ao desviar a atenção para um novo conteúdo, há uma quebra de raciocínio e desvio do ponto central no trabalho”, explica. De acordo com pesquisas de neurociência, o cérebro humano pode levar até 23 minutos para retornar ao foco e desempenho máximo. “Portanto, elenque em quais horários corresponderá aos recados, evitando interrupções constantes. Além disso, crie sua lista de contatos por prioridades e quando estiver no momento de checar as novidades, siga esse guia”, recomenda a especialista.

Ainda de acordo com a análise, 9,68% (5.236) exaltaram: “depende, muitas eu ignoro”. Todavia, a postura  faz assuntos importantes serem postergados até virarem urgentes. “Logo, o ideal não é rejeitar conversas, mas sim organizar-se e atender a demanda segundo critério de preferências”, incentiva Nicole.

Por fim, 1,75% (948) enfatizou: “não, preciso viver” e 1,67% (904) frisou “não consigo, é muita coisa”. Entretanto, a analista reforça o fato de repensar essa negativa. “Tirando as mensagens enviadas para um grupo de pessoas, todas as outras foram encaminhadas porque, de fato, o emissor achou relevante compartilhar e, provavelmente, aguarda uma posição”, explica. Por isso, desconsiderar o assunto demonstra desinteresse e causa desconforto. Além disso, tal conduta leva a perdas de oportunidades. Afinal, pode ser a comunicação sobre uma entrevista, processo seletivo ou mesmo aprovação para uma vaga de estágio ou emprego.

Para chegar ao equilíbrio, a dica é ser objetivo. “Organizar a agenda contemplando períodos também para o lado pessoal é o mais importante. Assim, somos ainda mais produtivos e criativos”, indica. Porém, é válido não praticar a “auto sabotagem”. “Manter a disciplina e compromisso são também uma forma de liberdade. Então, siga o planejado”, finaliza.

Fonte: Nicole Crespo, analista de treinamento do Nube

Compartilhe