O mundo dos negócios muda constantemente e grande parte dessas transformações são devidas ao perfil dos novos profissionais, com características típicas da Geração Y. Esse grupo, também conhecido e definido como os millennials, já ocupa uma camada expressiva do universo organizacional e trouxe, para dentro das companhias, as divergentes percepções entre “chefe” e “líder”.

Enquanto a chefia está associada a modos mais clássicos de direcionar um time, o outro termo diz respeito a novos meios de conduzir grupos em rumo a um objetivo. Para Carla Sousa, gestora de RH, mesmo carregando significados distintos, nenhum dos termos deve ser utilizado de maneira pejorativa.

Segundo ela, a liderança carrega consigo uma ideia de maior cooperatividade, pois quem é gestor conquista a proximidade com seu time e, além disso, está mais disposto a mudanças e opiniões. “Com uma busca muito grande por um significado em suas profissões, quem é dessa geração tem outra visão de trabalho, a qual não vai de acordo com modelos encaixotados e arcaicos”, explica. “De fato, o ‘chefe’ está cada vez menos presente, dando lugar ao líder. Porém, em algumas áreas, os meios tradicionais podem permanecer a melhor saída”, continua.

Mesmo assim, “associa-se o vocábulo antigo a alguém inflexível, ditatorial e autoritário. Hoje, quem ocupa um cargo de coordenação, deve estar ciente de quem é cada membro de sua staff e, a partir disso, saber como agir”, defende. Para Carla, essa é a principal ideia capaz de separar as duas expressões. Entretanto, a especialista faz uma ressalva: “se apegar aos estilos mais convencionais não significa ser incapaz de ouvir ou ser ditatorial e sim implica em organizar o time de uma maneira mais analítica”.

Ainda de acordo com ela, toda essa concepção está relacionada à importância dada aos mais novos para o engajamento. “Todos precisam encontrar sentido em suas vidas e o gestor deve se preparar para entender as necessidades de cada um e tratá-los sempre de maneira humanizada”, constata.

Gustavo Moreira é formado em propaganda e marketing pela Facamp, Faculdade de Campinas, e já estagiou na área. Para ele, sem um direcionamento, alcançar bons resultados é mais difícil na comparação de cenários. “Para atingir um desempenho satisfatório, é imprescindível estar inspirado e motivado. Além disso, preciso de orientação para trilhar o melhor caminho”, diz.

Portanto, de qualquer modo, entender quem são seus liderados é imprescindível. Só assim é possível conduzi-los à alta performance. Conte sempre com o Nube!

Estamos no Linkedin com mais dicas e matérias focadas para gestores.

Se você tiver dúvidas sobre a contratação de estagiários e aprendizes, solicite um contato da nossa equipe.

Interessado em aprender mais? O Nube também oferece cursos on-line voltados para a qualificação profissional de gestores, estagiários e aprendizes.

Compartilhe