Se antigamente, o domínio de habilidades técnicas e conhecimento sobre o mercado de trabalho de sua profissão eram o suficiente para conquistar uma oportunidade, hoje, o cenário é diferente. Cada vez mais, as empresas têm buscado a capacitação nas soft skills, capacidades ligadas ao seu comportamento como pessoa.

Embora esses aspectos tenham sido valorizados pelos gestores nos últimos anos, o domínio da teoria se mantém imprescindível. Para Ronaldo Mota, chanceler da Universidade Estácio de Sá, no Rio de Janeiro, muitas dessas mudanças se dão por conta do advento das novas tecnologias. “Apontamos à uma sociedade com informação acessível, instantânea e basicamente gratuita”, expõe.

Por isso, segundo o especialista, os padrões de ensino de antes devem dar atenção aos novos ingredientes da sociedade moderna. “Se há tempos o relevante era o conhecimento adquirido, atualmente, o mais importante é o quanto o educando aumentou sua compreensão e controle sobre seu próprio processo cognitivo”, ressalta.

Desse modo, estimular a autorreflexão dos estudantes e a exigência de desenvolver o trabalho em equipe é primordial. “É preciso incluir a prática de entender o outro e promover a aprendizagem colaborativa e independente”, explica. “No processo formativo, agregam-se às questões tradicionais de natureza mais técnica, um conjunto de elementos socioemocionais, os quais podem ser vistos como uma recuperação de elementos humanísticos em contraposição às ênfases exclusivamente tecnológicas”, continua.

“Do ponto de vista dos empregadores e do aproveitamento de novas oportunidades de negócios dos próprios formandos, o conteúdo das abordagens clássicas do ensino continuam relevantes, mas insuficientes, para as atividades do universo organizacional atual”, defende.

Sendo assim, se você está em uma graduação, se atentar aos trabalhos em grupo, à prática do estágio e programas extracurriculares pode ser uma boa saída. Afinal, essas exercícios promovem uma conexão entre as exigências do mundo dos negócios com o conteúdo aplicado em sala de aula.

Júlia Rachid cursa direito na Facamp - Faculdade de Campinas e atua na área. Para ela, o período da faculdade pode construir uma base sólida de sua área escolhida, mas a fase de expandir suas sabedorias não se restringe a isso. “A busca por um estudo mais amplo deve ocorrer por meio de congressos, palestras, especializações”, diz.

Desse modo, procure sempre ser a melhor versão de si, para se destacar em meio à competitividade. Valorize cada vez mais a união das teorias com as suas habilidades pessoais e promova, então, o sucesso em sua carreira. O Nube acredita em você!

Seja nosso seguidor no Twitter (@nubevagas) e veja notícias diárias de ações, vagas de estágio e aprendizagem, palestras e muito mais. Assista nossos vídeos de dicas no YouTube e participe da nossa página no Facebook. Agora estamos também no Google+Instagram e no Linkedin. Esperamos você em nossas redes sociais!

O Nube também oferece cursos on-line voltados para a qualificação profissional de estagiários e aprendizes. Basta acessar o link www.nube.com.br/ead. Todos os serviços para o estudante são gratuitos. Já instalou nosso aplicativo "Nube Vagas" em seu celular? Com ele você será notificado a cada nova oportunidade. Disponível na Apple Store e Play Store.

Compartilhe