Atualmente, o termo coaching é muito utilizado. Contudo, pouco se explica sobre sua origem. Para explicar melhor sobre o método, fomos atrás de sua invenção e separamos todos os detalhes nesta matéria. Acompanhe!

Inicialmente, o termo designava os cocheiros ingleses, os quais guiavam as carruagens, ainda na idade média. “O sentido originário era o de “guiar”, levar a algum lugar desejado”, explica Marco Túlio Costa, professor de Formação em Coaching. Sua utilização ressurgiu, em 1850, também na Inglaterra, para se referir aos mestres e professores de universidades. Era especialmente ligado àquelas figuras responsáveis pela orientação e tutela de alunos em suas provas, testes e trabalhos, conduzindo-os a resultados satisfatórios.

Cem anos depois, apareceu novamente na literatura de negócios, abordando nuances relativas ao gerenciamento de pessoas. Assim, passou a designar o desenvolvimento de indivíduos a partir de habilidades comportamentais.
 
Em Nova Iorque, no ano de 1960, ganhou força nas empresas. Um programa educacional foi desenvolvido e, a partir dos seus brilhantes resultados, foi levado para o Canadá e lá aperfeiçoado. Nesse momento passa-se a utilizar técnicas de controle de conflitos. A busca por resolução de problemas se torna um ponto importante do processo.

Então, na década de 60, foi criado o Instituto Esalen. O objetivo era estudar várias modelos de capacitação de habilidades humanas. O lugar, ainda hoje, é considerado o lar espiritual do movimento pelo potencial de cada pessoa.

Para os brasileiros o termo chegou associado aos esportes, em 1970. Posteriormente, nos anos 80, ganhou força nas grandes organizações por seu resultado no desenvolvimento de metas, solução de problemas e alto desempenho de equipes.

Camila Pedrosa Ferreira se formou na Unicamp - Universidade de Campinas e atualmente exerce a função de gerente de marketing na Plataformatec. Ao longo de sua trajetória profissional recorreu ao treinamento para se destacar. “Quando migrei para uma empresa com um modelo de negócios diferentes, ou nos episódios nos quais assumi um papel ainda com pouca experiência, foi fundamental para acelerar meu processo de adaptação. Amenizou as fricções ocasionadas pelas mudanças”, assegura.

A prática é um processo objetivo, a fim de auxiliar um indivíduo ou grupo de pessoas a descobrir seu foco e a chegar a melhores resultados. “É muito elogiado por quem participa da atividade, devido aos resultados otimizados e satisfatórios”, garante Costa.

E você, já aderiu a essa experiência? Conte pra gente nas redes sociais!

Seja nosso seguidor no Twitter (@nubevagas) e veja notícias diárias de ações, vagas de estágio e aprendizagem, palestras e muito mais. Assista nossos vídeos de dicas no YouTube e participe da nossa página no Facebook. Agora estamos também no Google+Instagram e no Linkedin. Esperamos você em nossas redes sociais!

O Nube também oferece cursos on-line voltados para a qualificação profissional de estagiários e aprendizes. Basta acessar o link www.nube.com.br/ead. Todos os serviços para o estudante são gratuitos. Já instalou nosso aplicativo "Nube Vagas" em seu celular? Com ele você será notificado a cada nova oportunidade. Disponível na Apple Store e Play Store.

Compartilhe