O desemprego atingiu a marca de 13,7 milhões de pessoas no Brasil, nos primeiros três meses de 2018. Se a situação já é crítica, para o jovens, o cenário é ainda pior. Na faixa etária entre 18 e 24 anos, este número chega a 28,1%, supera o dobro em relação às demais idades. Esses são os últimos dados divulgados pelo IBGE - Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística e IPEA - Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada. Em meio a essa realidade, qual seria a melhor forma de inserir essa parcela da população no ambiente corporativo? A resposta vem por meio de atitudes do empresariado ao contratar estagiários e aprendizes.

“Esses são importantes instrumentos para viabilizar a inclusão dessa juventude no ambiente corporativo. Além disso, possibilitam uma remuneração capaz de pagar suas mensalidades e outros custos do aprendizado”, incentiva Carlos Henrique Mencaci, presidente do Nube - Núcleo Brasileiro de Estágios.

Para quem busca uma vaga por meio dessas modalidades, as notícias são positivas. Nas últimas duas décadas, diversas modificações ocorreram para beneficiar essas categorias. A Lei 11.788, de 2008, veio para garantir os direitos e deveres de estagiários. Com ela, ficou assegurado aos educandos carga-horária máxima de 6h diárias e 30h semanais, recesso remunerado, bolsa-auxílio, seguro contra acidentes pessoais e auxílio-transporte. Para as corporações, definiu-se o estágio como uma atividade sem vínculos empregatícios e, justamente por isso, não há a necessidade de pagamento de tributos fiscais, como 13º salário, ⅓ de férias, INSS e FGTS.

Já para os aprendizes, em 2005, o decreto 5598 definiu cotas de 5% a 15% por estabelecimentos de médio e grande porte. Isso impulsionou o setor e, de lá pra cá, já foram contratados mais de 3,3 milhões de profissionais do tipo, com faixa etária entre 14 e 24 anos, segundo dados do Ministério do Trabalho.

Os agentes de integração realizam um importante papel nesse cenário. Eles fazem a ponte entre o aluno, a instituição de ensino e a empresa e cuidam de toda parte burocrática da administração dos contratos. Há 20 anos, o Nube nascia justamente com esse intuito, auxiliar milhares de jovens em sua primeira colocação. “Desde 1998 enfrentamos diversos desafios pelo caminho, mas, hoje, chegamos ao número de mais de 7.500 clientes, 14 mil instituições de ensino conveniadas e o marco de mais de 800 mil pessoas inseridas no mercado de trabalho”, comemora o presidente. Além disso, anualmente, são realizadas 11 milhões de ligações, enviados 3,2 milhões de SMS e encaminhados 750 mil candidatos. O banco de dados conta com 4,5 milhões de talentos cadastrados e todos podem concorrer às milhares de oportunidades oferecidas mensalmente, de forma gratuita!

Pelo segundo ano consecutivo, o Nube foi eleito pela Love Mondays como a empresa de RH mais amado pelos colaboradores. A conquista revela como uma gestão humanizada faz a diferença no dia a dia. Além do ótimo ambiente, alguns dos benefícios concedidos ao time são: home office, massagem, bonificação por metas e tempo de casa, prêmios por ideias e elogios internos e externos, treinamentos profissionais desde o primeio dia de contratação, cursos de capacitação, entre outros. “Aqui é, sem dúvidas, um lugar preocupado com o desenvolvimento de todos. Me sinto altamente acolhida e feliz”, revela Maria Luiza Cortezi, de 17 anos e estagiária de ensino médio, há seis meses contratada pela área de consultoria de oportunidades.

Prestar um serviço de qualidade sempre fez parte da missão da companhia. “É bom colher os frutos dessa empreitada, sabendo como a vida de tantos jovens é diariamente impactada de forma positiva”, ressalta Mencaci. Para ele, quem ainda não conta com essa mão de obra na equipe, deve repensar os conceitos. “O mercado se transforma a todo momento e esses talentos agregam com sua energia, dedicação e vontade de aprender. É um investimento bom para as empresas, para os estudantes e para o Brasil”, finaliza.

Serviço: Desemprego afeta 28% dos jovens, mas o estágio e a aprendizagem podem mudar a realidade do país!
Fonte: Carlos Henrique Mencaci, presidente do Nube - Núcleo Brasileiro de Estágios

Sobre o Nube
Desde 1998 no mercado, o Nube oferece vagas de estágio e aprendizagem em todo o país. Possui mais de 7.500 empresas clientes, 14 mil instituições de ensino conveniadas no Brasil e já colocou mais de 800 mil pessoas no mercado de trabalho. Também administra toda a parte legal e realiza o acompanhamento do estagiário e aprendiz por meio de relatórios de atividades.
 
Anualmente, são realizadas 11 milhões de ligações, enviados 3,2 milhões de SMS e encaminhados 750 mil candidatos. O banco de dados conta com 4,5 milhões de jovens cadastrados e todos podem concorrer às milhares de oportunidades oferecidas mensalmente Para facilitar a vida dos cadastrados, foi desenvolvido um aplicativo no Facebook para publicação das vagas.
 
O Nube também está presente nas principais redes sociais Twitter, Google+, Linkedin e Youtube. Com a TV Nube, oferece conteúdos voltados à empregabilidade, dicas de processos seletivos, currículos, formação profissional, entre outros. O cadastro é gratuito e pode ser feito no site www.nube.com.br.
 

Compartilhe