Quais situações mais desmotivam uma equipe?

Motivação, a palavra representa um estímulo para atingir objetivos. No mercado de trabalho, é uma inspiração almejada por 100% dos profissionais e um trunfo valioso para aumentar a produtividade. Apesar do ato de motivar ser algo tão conhecido nas organizações, por vezes, alguns episódios acabam por colocar todo esse trabalho por água abaixo. Nesse contexto, “Quais são as situações mais desmotivantes?”. O Nube – Núcleo Brasileiro de Estágios foi atrás dessa resposta e alcançou resultados reveladores.

A pesquisa foi realizada entre 20 e 31 de julho de 2015 e contou com a participação de 8.380 pessoas. Como opções de resposta, cinco eram as alternativas: “Nunca ser reconhecido pelo meu trabalho”, “Ser contratado para uma tarefa e atuar em outra”, “Fazer as mesmas atividades de um colega com um salário maior”, “Acumular funções de outras pessoas” e “Realizar atividades diferentes de minha formação”. Com 56,61%, ou seja, 4.744 votos, a falta de reconhecimento liderou o ranking.

Para Lucas Fernandes, analista de treinamento do Nube, de fato, diversos profissionais se sentem esquecidos. “Todavia, não ter um gestor acompanhando de perto todos os resultados, não significa um mau trabalho desempenhado pelo colaborador”, garante. Afinal, também existem outros parâmetros capazes de medir a qualidade das tarefas. “Solicitar feedbacks aos outros membros da equipe é sempre uma boa oportunidade para corrigir pontos negativos e saber mais sobre os positivos”, explica.

Em segundo lugar, ficou “Ser contratado para uma tarefa e atuar em outra”, com 14,5% (1.215 votantes). Por se tratar de um assunto delicado, é fundamental ter bom senso. “Muitas vezes, o acúmulo ou desvio de função ocorre por redução no quadro de funcionários, demanda de produção em alta, ou falta de mão de obra qualificada. Nesse caso, o funcionário pode considerar a possibilidade de ter uma conversa franca com o seu gestor e expor a sua situação”, aconselha o especialista.

Na sequência, 12,42% (1.041) elegeram a alternativa “Fazer as mesmas atividades de um colega com um salário maior”, como a mais desmotivante. Para não desanimar, é importante conhecer tanto a sua função, quanto a dos outros membros da equipe, considerar os projetos nos quais os colegas estão envolvidos, o tempo de empresa, plano de carreira e promoções. “Assim, esse colaborador passa a conhecer o funcionamento da organização e, ao mesmo tempo, tem uma visão mais ampla das iniciativas capazes de o evidenciar como profissional para, futuramente, ser possível pleitear uma maior remuneração”, comenta Fernandes.

Em quarta posição se manteve “Acumular funções de outras pessoas”, com 8,79% (737 votos), seguida de “Realizar atividades diferentes de minha formação”, com 7,67% (643). De acordo com o analista, a melhor forma para evitar a sobrecarga é saber dizer 'não' quando for preciso. Já para quem atua em outra área, é importante focar sempre em seu objetivo maior, isto é, manter-se atualizado, estabelecer um bom o network, traçar metas, criar um plano de carreira e, independentemente da função exercida, fazer tudo com qualidade. “Contudo, para quem quer entrar no mundo corporativo já no ramo escolhido, sem dúvidas, realizar um estágio é a melhor opção. Portanto, ao ingressar na faculdade, é essencial iniciar a busca por oportunidades logo nos primeiros semestres do curso”, enfatiza.

No mais, Fernandes aconselha os jovens a enxergarem o lado bom das situações, focando sempre em alguma solução e não nos problemas. “Em momentos nos quais a corporação dispõe de um quadro reduzido de funcionários, ou até mesmo quando as relações não estão muito boas, a grande sacada é demonstrar ainda mais habilidades bem relevantes no mercado, como a resiliência, flexibilidade, criatividade e coragem. Isso sim é um diferencial para alavancar a carreira e nos manter motivados”, finaliza.

Serviço
A falta de reconhecimento é apontada como a maior causa de desmotivação no ambiente de trabalho, por mais de 56% dos jovens brasileiros.
Fonte – Lucas Fernandes, analista de treinamento do Nube – Núcleo Brasileiro de Estágios

Sobre o Nube
Desde 1998 no mercado, o Nube oferece vagas de estágio e aprendizagem em todo o país. Possui mais de 6.800 mil empresas clientes, 13,5 mil instituições de ensino conveniadas no Brasil e já colocou mais de 550 mil pessoas no mercado de trabalho. Também administra toda a parte legal e realiza o acompanhamento do estagiário e aprendiz por meio de relatórios de atividades.
Anualmente, são realizadas 10 milhões de ligações, enviados 3 milhões de SMS e encaminhados 700 mil candidatos. O banco de dados conta com 3,6 milhões de jovens cadastrados e todos podem concorrer às milhares de oportunidades oferecidas mensalmente.
Para facilitar a vida dos cadastrados, foi desenvolvido um aplicativo no Facebook para publicação das vagas. O Nube também está presente nas principais redes sociais Twitter, Google+, Linkedin, e Youtube. Com a TV Nube, oferece conteúdos voltados à empregabilidade, dicas de processos seletivos, currículos, formação profissional, entre outros. O cadastro é gratuito e pode ser feito no site www.nube.com.br.

Compartilhe