No Brasil, como na maior parte do planeta, adota-se o capitalismo por modelo econômico e épocas instáveis são inevitáveis, porém nem todos sabem quando e por quanto tempo viveremos períodos ruins. Pensando no assunto, o Nube - Núcleo Brasileiro de Estágios perguntou a jovens de 15 a 26 anos, “Quais são as suas expectativas com a economia brasileira?”. A pesquisa foi realizada entre 1º e 12 de junho, a qual teve 6,7 mil participantes e o resultado mostrou pouca confiança.

Em primeiro lugar, com 52,52% (3.546 votantes), a alternativa mais eleita foi “Razoáveis, com incertezas sobre os próximos meses”. De acordo com Marcelo Cunha, analista de treinamento do Nube, “o atual momento econômico desfavorável, com a inflação elevada, altas taxas de juros, preços exorbitantes, além da queda e estagnação do crescimento em todas as áreas profissionais, causa descrédito para grande parte da população”.

Com 23,30% (1.573 internautas), a segunda opção não foi nada animadora: “Negativas, não acredito em recuperação no setor”. Essa porcentagem pode ser vista como um reflexo do olhar da sociedade em relação à governança vigente. Contudo, Cunha ressalta: “essa é a hora do jovem ser um agente de mudança, isto é, não se omitir diante das situações importantes da nação, como a política e a economia”.

Ainda assim, há uma parcela semelhante da população confiante e demonstrando ter expectativas “Positivas, com otimismo para 2015”. A alternativa obteve 19,31% (1.304 votos), ficando em terceiro lugar. “O público participante desse estudo é, em sua maioria, jovem em início de carreira e ainda não conquistou autonomia financeira. Mesmo assim, essa fração, apesar de observar o frágil momento econômico, vivencia na íntegra os impactos negativos, esperando por uma melhora”, explica o especialista.

Por fim, com 4,87% (329 cliques) ficou: “Neutras, não penso a respeito”. Nesse caso, é necessário reconhecer a fundamental importância de acompanhar o cenário público e econômico nacional. “Essas variáveis impactam diretamente nos meios de produção, em ofertas de estágio e investimentos”, aconselha Cunha.

Para o Banco Mundial (Bird), as coisas tendem a melhorar no Brasil. As projeções do PIB - Produto Interno Bruto, para 2016 e 2017 são de 1,1% e 2%, respectivamente, contra os 1,3% negativos do ano de 2015 até o instante. Enquanto a economia não muda, Cunha fornece uma ótima orientação: a melhor dica em qualquer cenário, principalmente no delicado momento atual, é poupar. “Gastar menos e investir uma porcentagem da remuneração pode ser uma boa forma de melhorar a situação financeira”, finaliza.

Serviço: Estudo realizado pelo Nube aponta as expectativas dos jovens em relação à economia do Brasil.

Sugestão de Fonte: Marcelo Cunha, analista de treinamento do Nube.

 


Sobre o Nube

Desde 1998 no mercado, o Nube oferece vagas de estágio e aprendizagem em todo o país. Possui mais de 6.800 mil empresas clientes, 13,5 mil instituições de ensino conveniadas no Brasil e já colocou mais de 550 mil pessoas no mercado de trabalho. Também administra toda a parte legal e realiza o acompanhamento do estagiário e aprendiz por meio de relatórios de atividades.
 
Anualmente, são realizadas 10 milhões de ligações, enviados 3 milhões de SMS e encaminhados 700 mil candidatos. O banco de dados conta com 3,6 milhões de jovens cadastrados e todos podem concorrer às milhares de oportunidades oferecidas mensalmente.
 
Para facilitar a vida dos cadastrados, foi desenvolvido um aplicativo no Facebook para publicação das vagas. O Nube também está presente nas principais redes sociais Twitter, Google+, Linkedin, e Youtube. Com a TV Nube, oferece conteúdos voltados à empregabilidade, dicas de processos seletivos, currículos, formação profissional, entre outros. O cadastro é gratuito e pode ser feito no site www.nube.com.br.
 

Compartilhe