A importância de estudar

Olá! Bem-vindo(a)
Quinta-feira, 30 de outubro de 2014
 
         

O Nube

Imprensa

     

A importância de estudar

21/12/2009

“O mercado de trabalho está cada vez mais competitivo”. Essa afirmação todo mundo está cansado de saber, o desafio agora é conquistar uma boa posição profissional. De acordo com o Índice Você, feito pela Fundação Getúlio Vargas (FGV), com base os números da Pesquisa Nacional por Amostras de Domicílios (Pnad), a cada ano a mais de estudo, a remuneração de um trabalhador pode aumentar em 15%.

Com a globalização, é preciso acompanhar as atualizações para se manter bem colocado, por isso, a importância de cursar uma universidade. Os anos acadêmicos devem ser aproveitados tanto para aprender o conteúdo do curso, como também para entrar em contato com assuntos e instituições ligadas à área.

Antigamente, as pessoas passavam longos períodos no mesmo cargo de uma mesma empresa, sem necessidade de reciclagem. Hoje, o cenário é completamente diferente. Dentro das grandes organizações há espaço para o desenvolvimento de novas funções e quem está inteirado sai ganhando.

Porém, esse resultado só vem com esforço. Para ascender na carreira, é fundamental fazer um investimento contínuo no aprendizado. Antes, ter o nível superior era visto como um grande diferencial. Agora, com a sua popularização, as empresas passaram a investir no capital intelectual dos colaboradores, independentemente de seu nível hierárquico.

A analista de seleção Yolanda Brandão acaba de se formar em Psicologia. Por ser uma área muito abrangente, ela pretende continuar estudando no próximo ano, para não perder o ritmo. “Quanto mais cedo a especialização, mais rápido me consolido profissionalmente”, conta.

De acordo com o Censo Inep/MEC 2008, o Brasil possui mais de 5 milhões de alunos no nível superior. Com toda essa concorrência, após a conclusão da universidade, é hora de partir para especializações ou cursos de MBA, Pós-graduação, Mestrado ou Doutorado. Caso contrário, você pode ficar para trás.

Um bom exemplo é o gerente de Tecnologia do Nube, Luiz Fernando Pasqual. Ele concluiu este ano um MBA em Gestão estratégica de TI, na Fundação Getúlio Vargas. “Meu objetivo foi adquirir mais conhecimento, me manter atualizado com as práticas de gestão do mercado e trazer cada vez mais retorno para a empresa”, diz. O resultado? “Por conta da troca de experiências na sala de aula, ficou mais fácil perceber as diferenças de cada organização e como precisamos ajustar a gestão para termos um ambiente harmônico e eficiente”, explica Pasqual.

Segundo Evelyn Lemos, gerente de Recrutamento e Seleção do Nube, “para os estagiários, a experiência não pode ser requisitada no processo seletivo. Então, estará na frente quem investir em cursos extra curriculares, palestras, workshops e conhecimento em mais de um idioma”.

Portanto, aposte na sua capacitação e conquiste uma boa oportunidade no mercado. O Nube lhe deseja boa sorte!



© Copyright Nube - Núcleo Brasileiro de Estágios LTDA - 2014. Direitos Autorais Reservados. | Política de uso e privacidade
É proibida a reprodução do conteúdo deste site em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização escrita do Nube.